Durante três dias, de 24 a 26 de outubro, o clero da Arquidiocese de Palmas participou de formação sobre “Gênero e Ideologia de Gênero”, na Fundação Fé e Alegria. A temática foi conduzida pelo padre Rafael Solano, doutor em Teologia Moral e Familiar, do clero de Londrina, Paraná.

Em resumo, a ideologia de gênero pretende que a identidade sexual seja uma construção cultural, e, com isso, propõe uma escolha pessoal. O padre formador, Rafael Solano, fala sobre as contradições da ideologia de gênero com a fé cristã.

“Hoje, mais do que nunca, nós estamos enfrentando uma força descontrolada. A ideologia de gênero é, sem dúvida nenhuma, um novo tipo de cultura. E nós não estamos suficientemente preparados para enfrentar a situação. A ideologia de gênero desconstrói o conceito de pessoa humana que nós temos na nossa antropologia cristã, desconstrói a proposta de família cristã e desconstrói o dom maravilhoso da obra criadora de Deus: homem e mulher”.

Durante a formação, o padre Rafael Solano falou sobre as propostas da ideologia de gênero, sobre o drama da biotecnologia e a manipulação embrionária e também, mediante debates, foram propostas ações pastorais.

“Nós temos que dialogar com a cultura da ideologia de gênero. Nós não podemos simplesmente demonizá-la, rejeitar ou nos afastar. Temos um caminho a ser feito. Mas também, da mesma forma que eles querem ser ouvidos pelo mundo, nós também somos chamados para falar e sermos ouvidos. Porque como Comunidade, como Igreja, a nossa caminhada milenar nos leva a promover o dom da vida, a promover o dom da pessoa e a salvaguardar o princípio da família, que não é simplesmente uma célula estruturalmente social. A família tem raízes divinas, foi pensada por Deus, foi querida, foi um desejo divino e não pode simplesmente ser anulada só porque hoje se coloca em questão a própria realidade do ícone da família. O primeiro passo que será feito é precisamente aquele de reformular a Pastoral Familiar, tanto na Paróquia quanto na vida da Arquidiocese de Palmas”.

O coordenador da Pastoral Presbiteral, padre Edionilson alves, da Paróquia Santo Antônio, no Aureny III, fala sobre a contribuição da formação para a sua missão sacerdotal.

“É de suma importância para nós padres abordarmos esse tema, refletirmos pra também termos resposta para darmos para nossas lideranças e para nosso povo. Não respostas prontas, mas também levar o povo a um diálogo, a um respeito. Temos a Pastoral Familiar na Paróquia e a gente vê que também há uma inquietação dentro da Pastoral por enfrentar, às vezes, perguntas dos filhos que, às vezes, ouvem nas escolas, e, às vezes, os pais também não têm respostas, não sabem como orientá-los. E requer da gente uma posição, um respaldo, o que a igreja pensa sobre esse assunto. Nós estamos indo atrás, nós estamos buscando”.

Padres diocesanos, religiosos consagrados, diáconos permanentes e seminaristas do curso de Teologia do Seminário Maior participaram da formação junto ao arcebispo da Arquidiocese, Dom Pedro Brito.

Por Camila Soares